29.8.07


Reencontro e Renascimento

Renasço do horizonte frio e caótico
Na bruma, no sonho, no reflexo
Confesso que não sou
tão pura como antes nas palavras,
Mas, em objetivos e idéias renasci.

As noites eram frias e involuntárias
Teus olhos me fitavam na escuridão
Saístes correndo sem indicar a direção

Mundo pequeno
de poucas e muitas palavras
Já compreendo tua logia desonesta

Teu passado não interessa
Seu futuro as cartas disseram
O destino está nas tuas mãos
As respostas que tanto sonhas
Olhe para si, as encontrará
Na origem da procura

Mundo sedento, de pessoas e multidões
Me faça escutar o teu sorriso
Seu sussurro em meu ouvido
Sei que esse retorno parece devaneio
Mas o maior deles
é ignorar o curso da vida
esquecer como é bom ser você mesmo

Vejo a minha menina, pequena bailarina
Se arriscando no ar
A Girar e dançar
A Dar vida, gerar a si mesmo
e ao outro
Num palco, simplesmente viva!

Acordo, estremeço.
Meus pés caminham sonolentos até o espelho,
Tudo foi um sonho?
(Pintura de Edgar Degas)
.
.
.
Deborah Caridade

2 comentários:

:::::Luiz::::: † disse...

nem preciso dizer que vc escreve pra cacete muito bom!
vc escreve bem melhor que eu ne! eu so me arrisco de vez enquando =p
mais eu le todo pq ainda ta comecando bem legal mesmoooo!

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado

Bem Vindo =)

Aqui estão algumas poesias e textos de minha autoria. Fique à vontade para passear pelo blog, comentar nas postagens e visitar os links de outras páginas especialmente selecionados.

Amo escrever aqui e na correria de sempre, que é muita (como toda criatura urbana), volta e meia ele fica um pouco desatualizado. Mas busco atualizá-lo sempre que possível, não tenho uma frequência exata, mas em respeito a quem acompanha e visita, ao menos uma postagem por mês ou semana você encontra por aqui!

.*Obrigada a quem visita*.*.