15.1.08

Sussuro

Quantas palavras ainda
esperam por ser ditas,
nessa estação?

E tantas frases vêm e voltam,
ecoando por azuis,
chamados imensidão...

Quantas primaveras faremos sem enxergar?
o quão infantes somos em pensar,
pensares Inúteis de um homem vão...

...Vão por andar em círculos.
e voluntariamente atirar-se,
às trevas carbônicas da ignorância.

Fujo do destino dos homens-pedra,
que o mar dia-a-dia,
converte em areia.

Caminho contra marés surdas,
dos que andam sem direção.

Encontro meus desejos,
não em lábios,
Mas no que moram neles...
.
.
.
Deborah Caridade

Um comentário:

Will disse...

Olha...

Quando terminei uma lenta e concentrada leitura do seu poema soltei: "Que lindo!"

Poxa, lindo mesmo. Quero mais!

Bem Vindo =)

Aqui estão algumas poesias e textos de minha autoria. Fique à vontade para passear pelo blog, comentar nas postagens e visitar os links de outras páginas especialmente selecionados.

Amo escrever aqui e na correria de sempre, que é muita (como toda criatura urbana), volta e meia ele fica um pouco desatualizado. Mas busco atualizá-lo sempre que possível, não tenho uma frequência exata, mas em respeito a quem acompanha e visita, ao menos uma postagem por mês ou semana você encontra por aqui!

.*Obrigada a quem visita*.*.