16.9.07

Desafio dos Céus

Queria dizer aos céus algumas palavras.
Outras claras, algumas inexatas...
Surte em mim o efeito de um vício.
Do vício e do desvalor da virtude

Grito e me arrisco.
É a morte que grita,
Antes fosse o sussuro que cala e eterniza.

Na noite tudo é silêncio.
Mas o tudo mente,
Pois nunca saberá dizer
O que há por trás de uma mente

Encaro o céu e o céu me encara
Uma típica madrugada
Onde o desejo pulsa mas não pica,
Onde o amor fala mas não grita.

É uma ladeira,
que faz o morro virar morro.
É o sol,
alimento dos viventes e sobrevivos.
Caí a chuva,
ante a troca do céu
pela esfinge derrotada de ser gente

Onde dança o desejo em nossa mente?
Digo aos céus, ele é vivo...
Porque vibra e chora
Ama e sorri...

No ar a música dos ventos se fazem ouvidas
O silêncio se perpetua pela madrugada
Avisto teu sorriso e ele é tudo
Pelo menos para mim.

(Deborah Caridade madrugada de 16/09/07)

Um comentário:

Amanditta disse...

Fala Deh!
Gente não imaginava que você escrevesse tão bem menina!Vc tem talento sabia????
Achei muito foda essa poesia que to postando em baixo!...Não só essas como todas to impressionada Dedeah rss bjx

Bem Vindo =)

Aqui estão algumas poesias e textos de minha autoria. Fique à vontade para passear pelo blog, comentar nas postagens e visitar os links de outras páginas especialmente selecionados.

Amo escrever aqui e na correria de sempre, que é muita (como toda criatura urbana), volta e meia ele fica um pouco desatualizado. Mas busco atualizá-lo sempre que possível, não tenho uma frequência exata, mas em respeito a quem acompanha e visita, ao menos uma postagem por mês ou semana você encontra por aqui!

.*Obrigada a quem visita*.*.